quinta-feira, 5 de abril de 2012

ENFIM, O PARAÍSO

Olá amigos,

No último final de semana, finalmente, o MYSTIC visitou pela primeira vez a Ilha Grande, sob meu comando. Após uma série de imprevistos (chuva, febre do comandante, cracas etc), que desde o final de janeiro nos impedia de estrear o barco no paraíso, no sábado, zarpamos de Angra, eu, minha esposa e nosso filhote, com destino à Enseada do Sítio Forte, mais precisamente o Bar do Lelé, na Praia de Ubatubinha.

Nós acordamos no sábado, em Niterói, com o céu carregado de nuvens, fruto do resto de uma frente fria que passou pela região Sudeste durante a semana. Mesmo assim, levantamos, perdemos algum tempo arrumando as malas e partimos, pois a previsão era do tempo ir melhorando ao longo do final de semana. A programação era seguir para o clube, em Angra, almoçar e  zarpar para a Ilha.

video

Após pararmos na estrada para comprar bóias, macarrão e todos aqueles artefatos próprios para lazer aquático, chegamos ao clube por volta de 12h e, enquanto a Renata foi pro restaurante pedir o nosso almoço, fui buscar o barco na poita e colocá-lo no cais, para abastecer com água.

Eu já navegava tranquilo rumo ao cais quando percebi que o escapamento do motor parou de cuspir água. Algumas semanas antes, na tentativa anterior de irmos para a Ilha Grande, nós já havíamos abortado o passeio pelo mesmo motivo, que depois vim a descobrir que era um simples entupimento da válvula de retorno do sistema de refrigeração do motor por cracas. Naquela ocasião, eu havia cometido um erro, de raspar o fundo com o motor ligado, mas dessa vez o fundo já estava limpo. O que poderia ser?

MYSTIC rumo à Ilha Grande
Lá estava ele (Murphy) novamente, tentando avacalhar meu passeio, mas dessa vez estava decidido a não me render! (rs) Parei no cais, almocei calmamente com a família no restaurante do clube e depois fui pro barco e ataquei a bendita válvula entupida. Desmontei o sistema e o que não esperava é que, se não estava entupido por cracas, o que era?!!!! Dois peixinhos!!!! Sim, haviam dois peixinhos no sistema de refrigeração do barco. Um, inclusive, havia passado pela válvula e já estava lá no filtro de água salgada. Já o maior, entalou na válvula e não deixava-a abrir. (rs)


Bem, com o problema resolvido e com o final de tarde se aproximando, zarpamos logo para a Ilha, conforme programado. Havíamos marcado de nos encontrar com os amigos Ulisses e Marcela, do veleiro Coronado no Sítio Forte e não eu queria atrasar.  Ao contrário de manhã, já fazia um sol, ora acanhado, ora mais brilhante e o vento, fraco, era contra. Motoramos o tempo todo, mas eu nem fazia tanta questão de velejar. Estava feliz da vida pela nova experiência de cumprir esse trajeto que tantas vezes fiz antes, só que dessa vez estava acompanhado do meu filho. Eu ia timoneando, contemplando a natureza e observando as travessuras do moleque a bordo.

Anjo Querubim
Chegamos ao Sítio Forte com o Gustavo tirando sua soneca da tarde. Fazia um final de tarde bonito e agradável, com poucos barcos na área. Não foi difícil encontrarmos uma poita bem próxima do Lelé, o que nos dispensou de ter que lançar o ferro. Daí, foi só esperar o Ulisses chegar e desembarcarmos para curtir o resto do sábado naquele paraíso.

A noite foi muito agradável, com um bom papo animado com outros navegadores que estavam por lá. Degustamos uma ótima porção de Lulas empanadas e bebemos um "Leite da Macaca". Pra completar, jantamos uma corvina assada com batatas que me faz salivar só de lembrar. (rs)

Estava muito feliz com o momento que estava vivendo e gostei de ver que a natureza naquele canto da ilha ainda está exuberante. Se por um lado a praia de Ubatubinha cercada com bóias é uma afronta ao direito de desembarcarmos em qualquer  trecho de sua extensão, por outro lado, tem conseguido conservar o local limpo e preservado. Espero muito que a natureza ali continue assim por muitos anos, pois quero que o Gustavo cresça em contato com esse ambiente e tenha uma forte consciência ecológica.

Bar do Lelé
A noite já avançava e, cansados, nos despedimos dos amigos e voltamos para o barco para dormir. Pela primeira vez pude colocar à prova a nova iluminação que fiz na cabine do MYSTIC, com fitas de LEDs. Hoje, dá para ler um livro a bordo com tranquilidade, sem ter que forçar a vista, nem se preocupar com o consumo de energia. Outro detalhe que não dá pra deixar passar, é que o Sítio Forte é um local tão protegido que deitado em minha cama, eu pensava estar dormindo na da minha casa.

A nova iluminação do MYSTIC
O domingo amanheceu com sol, mas ainda com bastante nuvens. A temperatura estava ótima e tive uma boa noite de sono, apesar da Renata ter reclamado que passou um pouco de frio, dormindo na cama de proa do barco, com o Gustavo. Nossa agenda social teria continuidade com a visita do Ulisses e da Marcela, do veleiro Coronado, para o café da manhã a bordo do MYSTIC.

Como não podia deixar de ser, após o café, pulei na água e curti um pouco todo aquele cenário. Ainda demos um tempo por lá, mas acabou que não desembarcamos na praia, pois pretendíamos zarpar em breve, a tempo de almoçar no clube, em Angra. Sendo assim, aproximadamente pela hora do almoço, zarpamos de volta para o clube, já em retorno pra casa. As 7 MN que separam o Sítio Forte do ARMC foram cumpridas com mar calmo, pouco vento e com um solzinho gostoso. Deixamos o MYSTIC de volta em sua poita, almoçamos no clube e retornamos pra casa.

A Baía da Ilha Grande não estava cheia nesse final de semana, muito provavelmente porque as pessoas estavam se preparando para a semana seguinte, emendando com o feriado de Páscoa. Pra mim, que não gosto de muita aglomeração, estava ótimo! Pena que não tive a oportunidade de encontrar com muitos amigos que costumam pernoitar por aquelas paragens. Já estou estudando uma nova programação para breve, afinal só mesmo um paraíso como a Ilha Grande para espantar o estresse do dia a dia no trabalho e na cidade grande.

Até a próxima!

Tripulante
Era Telma, mas acabamos no Lelé
Botinas: passeio em breve
O Coronado chegando
Bom Dia, papai!!!!
MYSTIC e Coronado a contrabordo
O comandante aproveitando
Novos ângulos